Museu do Pico
Visita Virtual
Polo dos Baleeiros
Visita Virtual
Polo da Indústria Baleeira
Visita Virtual
Polo do Vinho

Agosto 2017

DOMSEGTERQUAQUISEXSÁB
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Museu do Pico apresenta a exposição de pintura A Ponta do Pico de Margarida de Bem Madruga

O Museu do Pico apresenta ao público, no próximo dia 19 de Agosto, pelas 21h30, no Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, a exposição de pintura A Ponta do Pico, de Margarida de Bem Madruga.

Margarida Madruga nasceu a 11 de Novembro de 1945, na freguesia de São João, nas Lajes do Pico. De 1966 a 1972, em Lisboa, fez banda desenhada. Terminou o curso de Arquitetura em 1972, trabalhando, exclusivamente como arquiteta, até 1994, quando retomou a pintura, a sua grande paixão. De reconhecido talento, já expôs nos Açores, Continente e Galiza.

Esta exposição representa um conjunto de telas pintadas a óleo, tendo como referência única a Montanha do Pico. Nas palavras de Victor Rui Dores:

Margarida de Bem Madruga cobriu a montanha do Pico de mantas, tintas e poesia.

A imponência da montanha é, diariamente, objeto de fruição estética. Nosso barómetro de todos os dias, a sua altitude máxima é de 2.351 metros de lava, mistério e maravilha, constituindo o ponto mais alto de Portugal. Nos flancos deste santuário ocorreram inúmeras erupções predominantemente efusivas. Ténues fumos brancos, visíveis na ponta do Pico, atestam que o vulcão não cessou ainda completamente a sua atividade.

A não menos vulcânica Margarida, arquiteta reformada e pintora no ativo, lança, nesta exposição, olhares sobre esta montanha que nunca apresenta duas vezes o mesmo aspeto, pois que a luz que a enforma está sempre em constante mutação.

A pintura é uma arte generosa, sabe-se. E, em Margarida Madruga, a arte é já o domínio da técnica. Com arte e com técnica, e recorrendo a tinta de esmalte acrílico sobre tela, a pintora abre a cortina do assombro e recria, reconstrói e reinventa a montanha do Pico através de múltiplas abrangências: novos ângulos, diferentes enquadramentos e outros modos de olhar.

Nesta exposição colhemos todos os efeitos de luz da colossal montanha, que agora está violeta, logo está cor de fogo. Mas também pode cobrir-se de negro e cinzento. Ou amanhecer em neve. Ou desfalecer em roxo, com a lua enorme a nascer por trás daquela nuvem surrealista…

Tal como o pico do Pico que coroa e/ou fura as nuvens, esta exposição de Margarida atrai e encanta e fascina realmente o olhar.

A referida exposição poderá ser apreciada, no horário regular de funcionamento do Museu (de terça-feira a domingo - 10h-17h30), até dia 5 de Novembro.

Categoria
Data Inicial
2017-08-19
Data Final
2017-11-05
Hora Inicial
21:30
Hora Final
17:30
Voltar atrás

Optimizado para as últimas versões dos browsers:
Microsoft Edge, Google Chrome, Safari, Opera e Firefox

Desenvolvido pela Salworks